sábado, 26 de setembro de 2009

Isso é impulso

Os índices elevados de colesterol no sangue diagnosticados em exames de rotina me recobraram uma reflexão antiga, que me acompanhou ao longo da vida. Com menor ou maior intensidade.
A necessidade de praticar exercícios físicos. Sou um multi atleta por formação.
Já fiz futebol de salão, judô, capoeira, vôlei, handebol, musculação, alongamento, natação, futebol de campo. Mas, se em alguma dessas modalidades durei mais de 90 dias, foi muito. Enjoa.
No meu íntimo, sabia que quadras, campos e piscinas não são meu habitat.
Assistir aos Jogos Olímpicos comendo uma pacote de bolachas no sofá já me deixa um pouco cansado. Minha natureza pede que permaneça sempre quieto, que me movimente lentamente e acondicione em minha cintura a maior quantidade possível de energia proveniente de alimentos extremamente gordurosos como salgadinhos, embutidos, pães, refrigerantes e doces.
Mas, com o passar do tempo, a conta fica cara, como mostraram meus exames.
Até sair do médico ainda tinha a esperança que ele me mandasse ficar ainda mais distante dos exercícios. Para não forçar o coração, ué! Que nada:
-Você precisa retomar atividades físicas imediatamente.
Como já tinha me matriculado na academia umas 12 vezes na última década e gastei por lá em multas para cancelamento daqueles planos anuais uma quantia que talvez me permitisse hoje comprar um apartamento, logo descartei a idéia.
-Vou correr na rua!
Beleza. Tentei fazer isso à noite, na volta do trabalho. Não foi possível. O sofá é muito mais atraente depois de 10 hs de trabalho. Nem que um guindaste me carregasse pra fora conseguiria me exercitar.
Resolvi então que tentaria outra forma. Correr logo cedo.
Antes de dormir me lembrei de um artigo do médico Drauzio Varella em que ele contava que se parasse pra pensar antes de sair pra correr de manhã, voltava pra cama.
O relógio desperta. São seis de manhã. Evito qualquer pensamento, sobre qualquer coisa.
Sem escovar os dentes ou pentear o cabelo, visto o shorts, calço o tênis e saio correndo.
Só acordei mesmo depois de uns 5 minutos de corrida:
- O que estou fazendo? Pra que todo esse esforço?
Mais cinco minutos e avisto um mendigo dormindo como um bebê na marquise de uma loja ainda fechada. Por alguns instantes passa pela minha cabeça a possibilidade de sacar 5 reais do bolso, pagar por uma beirada no cobertor e dormir alí mesmo, na esquina, até o trânsito me acordar.
Mais cinco minutos e me lembro daquelas reportagens com depoimentos de gente viciada em corrida, que sofre crise de abstinência quando não se exercita:
-Porque não comigo? Porque me viciei em frituras, não em corrida?
Cinquenta minutos depois estou de volta. Revigorado, feliz por ter vencido meu próprio limite.
Já pensando em fazer o mesmo percurso em um tempo menor no dia seguinte.
Portanto, se algum dia cruzar às 6 da manhã com alguém correndo com os olhos fechados, camiseta de pijama, shorts, cabelos pro alto e bafo de travesseiro, sorria
Isso é impulso!

5 comentários:

  1. Acho que ninguém gosta de academias, elas sugam nossa alma.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Rafael,sugiro que vc entre para a equipe do fôlego,e começe a correr com o Petrin,Caprioti..depois que vc embala é legal,voltei a correr agora,depois do médico me liberar,pois tava com o ombro operado por conta de um acidente de moto.
    Mas correr vicia,e no verão é melhor ainda,o dia rende mais.

    Ass Sergio Cesar

    ResponderExcluir
  3. Legal seu blog Rafael, além de ser escrever bem você é muito divertido. Parabéns!

    Isabel Santos
    S.Paulo

    ResponderExcluir
  4. Também preciso urgente emagrecer... mas falta tempo e coragem pra começar a se mexer. Confesso que sou um sedentário.

    Abs, Gabriel Damásio, Aracaju.

    PS: Dias 30 e 31 tem Seminário de Radiojornalismo em Curitiba. Eu vou! e vc?

    ResponderExcluir
  5. Hoje é dia 23 de outubro preciso saber com urgência quantos dias você sofreu deste impulso. Me dê uma luz, diga que com você não aconteceu o mesmo que comigo.
    Durou um dia??

    ResponderExcluir