sexta-feira, 8 de maio de 2009

Dia das Mães na 25 de Março

Época de Dia das Mães é dor de cabeça na certa. São raríssimos os filhos que conseguem se planejar e comprar um presente uma semana, 15 dias antes da data. A imensa maioria dos rebentos concebidos e criados com tanto carinho e amor deixa tudo para o último minuto. Se você se identificou com esse grupo de "ingratos" tem duas alternativas:
Uma delas é aceitar sua condição de desnaturado e fingir que acredita naquela história esfarrapada da sua mãe que diz que não quer nada, afinal de contas o maior presente do mundo é você, filho tão lindo! Mas, se ainda resta um fiapo de bom senso na sua consciência para perceber que ela não diz a verdade, sebo nas canelas como diria Salsicha, fiel companheiro de Scooby-Doo. Mães sempre esperam, ao menos, uma lembrancinha. Chegamos então a segunda alternativa. A correrria. Há algumas opções:
Comprar pela internet? É arriscado. São muitos pedidos. Podem não entregar até domigo. Tem algo mais anti-climax do que dar presente de Dia das Mães em uma terça-feira?
Shopping Center? Haja paciência. Todos lotados, sem vaga no estacionamento, preços mais caros.
Para quem é de São Paulo sobra a 25 de Março. Neste ano com alguns obstáculos impostos pela prefeitura de São Paulo que tem realizado uma intensa operação de combate aos camelôs no paraíso do comércio de rua do país.
Vendedores ambulantes estão proibidos de trabalhar por 100 dias até que seja feito um novo cadastramento. Atualmente, apenas 74 de cerca de 400 têm a autorização.
Operação enxuga gelo feita há anos pelas diversas administrações da cidade que já demonstrou não dar resultado. Afinal de contas não adianta ocupar, causar uma mini guerra durante 15 dias e virar as costas. Tudo volta a ser como antes com a conivência, muitas vezes, de fiscais da própria prefeitura. E com os grandes empresários que alimentam camelôs com produtos piratas, que mantêm tradicionais stands de equipamentos eletrônicos contrabandeados e falsificados. Vão remover também? Aí o buraco é mais embaixo, né?
Desde segunda-feira, quando começou a tal operação dos 100 dias na 25 de Março, há quebra-quebra, confronto entre ambulantes e policiais, enfim, um clima pouco convidadativo para consumidores. Como nessas horas de correria ninguém é de ninguém, há uma boa dose de risco de você não achar um presente e sair de lá com os olhos marejados pelo spray de pimenta, o braço luxado após ter sido entortado para trás e encostado na nuca em uma doce revista de rotina dos PMs, sem a carteira batida por um bandido ou com um produto " sem galantia"que vai quebrar quando dobrar a esquina. E aí sim sua mãe vai dizer com toda a razão e sinceridade do mundo que não queria nada, afinal de contas o maior presente do mundo é você, filho mais lindo do mundo!

Um comentário:

  1. 25 de março.Uma paixão,uma loucura.Se,um dia mudar de SP,gostaria levar comigo á rua 25 de março.abs

    ResponderExcluir