quarta-feira, 15 de abril de 2009

Virada cultural

Foi anunciado hoje o cronograma de eventos da Virada Cultural 2009.
A edição deste ano será realizada no feriadão do Dia do Trabalho, entre os dias 2 e 3 de maio, com mais de 800 atrações em 24 horas.
O tema da festa será o ano da França no Brasil.
Esta será a 5ª edição da Virada Cultural.
Até hoje, a única ocorrência policial mais grave foi registrada durante um show dos Racionais, no centro da cidade. Fora isso, os eventos rolam sem grandes problemas. O clima em São Paulo fica diferente. Restaurantes e bares abertos o tempo todo, metrô em funcionamento por 24 horas, famílias circulando pelo centro em plena madrugada, bêbados pelas calçadas, monumentos iluminados, enfim, uma mistura pra lá de interessante, um momento em que paulistanos e turistas tomam efetivamente conta da cidade, do espaço público, assumem aquilo a que têm direito.
Na Estação da Luz haverá um palco com bandas que farão uma homenagem aos 20 anos da morte de Raul Seixas. Revolucionário do rock, foi autor de clássicos e discos fundamentais para a música brasileira. No entanto, ainda é visto por parte dos “especialistas” como artista menor, folclórico, como o louco que não dever ser levado a sério.
Agora, recebe uma justa homenagem da cidade que escolheu pra viver, a cidade mais rock n roll do país.

* O programa completo da Virada Cultural está no http://www.viradacultural.org/

2 comentários:

  1. Oi, Rafael. Eu nunca participei. Mas minha filha já participou de 2 edições (antes ela não tinha idade para isso). Tenho certeza de que neste ano ela não vai falhar. Inclusive por causa da comemoração aos 20 anos sem Raul Seixas. Veja só: a Bárbara (minha filha) tem 19 anos. Ela nunca viu o Raul. Mas tem alguns CDs, o Baú do Raul, no iPod, no celular... sempre a gente encontra um pouco de Raul nas coisas dela. Acho que cabe aqui, a exemplo do Elvis, "Raul não morreu". Inté. Ana Lúcia Sesso (anarevisao.wordpress.com)

    ResponderExcluir
  2. A Virada é um evento muito importante. Mas, seria necessário que este não fosse um evento anual e sim o do dia a dia. São Paulo, tem que ser o centro do turismo em bares, boites, restaurantes, teatros, cinemas, etc.
    Afinal temos 17 milhões pessoas na cidade e no entorno que buscam lazer seguro nos finais de semana.
    Abraços

    ResponderExcluir